Semmarh desenvolve Programa Trindade Sustentável

Até pouquíssimo tempo quase nada se ouvia falar sobre preservação ambiental e ainda hoje o assunto engatinha. Porém, medidas socioambientais têm sido tomadas em Trin­dade para mudar este quadro. Res­ponsável pela pasta, Alexandre César comenta a implantação do Pro­grama Trindade Sustentável. Segundo ele, é a base para demais iniciativas da Semmarh. Projetos como Adote uma Árvore, Coleta Seletiva, Água Nossa de Cada Dia e Papa Óleo compõe os planos da secretaria.
Com a meta de plantar 40 mil mudas em quatro anos, o Adote uma Árvore deve tornar a cidade, em pouco tempo, ambientalmente correta no quesito reflorestamento. A iniciativa contribui, inclusive, para um clima mais ameno e um visual mais agradável. “Plantamos árvores nativas do Cerrado e ainda fornecemos mudas para que as comunidades nos ajudem a atingir a meta”, diz Alexandre César.
A doação da muda, no entanto, ocorre com toda a pompa e formalidade. “Fazemos de maneira a comprometer realmente a pessoa a cuidar daquela plantinha. Ela até assina um termo de compromisso.” A adoção de uma árvore, para que cresça saudável, partiu de um lindo exemplo de moradores da Vila São Cottolengo.
Pacientes internos da entidade filantrópica plantaram mudas que vão do portão de entrada até a calçada do convento das Irmãs Car­me­litas. Durante dias o que se via eram crianças, jovens e adultos, com alguma deficiência física ou neurológica, portando garrafinhas e regadores para aguar as mudas, hoje fortes e saudáveis.
Um dos bens mais valiosos da humanidade, a água, por inú­meras vezes, não é tratada como deveria. O projeto Água Nossa de Cada Dia foi criado, justamente, para alertar e colocar em prática ações de preservação aos recursos hídricos. “A proposta é recuperar mananciais e identificar nascentes e áreas de preservação permanente”, diz o secretário.
Gestora ambiental do município, Acauã Zoé é uma das responsáveis pela fiscalização, em especial, da microbacia do Córrego Arrozal, que abastece a cidade. Ela conta que já foram visitadas cerca de 50 pontos. “Olhamos se a área está em conformidade com a legislação. Caso não esteja, os proprietários são notificados e cobrados a regularizar o problema constatado.” Depois de notificado, a gestora conta que são dados 30 dias para o proprietário da área apresentar um plano de recuperação. “E isso serve tanto para os pequenos quanto os grandes produtores rurais e empresas.”
Fonte: Inã Zoé – Jornal Opção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *